quinta-feira, 1 de maio de 2008

Esquecer.

Esquecer. Para alguns tão fácil, para outros um difícil jogo de paciência e dor, muita dor.

Esquecer o passado junto com as mágoas que foram tecidas em sua alma. Deixar que sua mente descanse e não se perca no ontem. Permitir que os fantasmas que o atormentam e o enfraquecem fiquem onde devem estar.

Esquecer um momento há muito vivido que marcou, mas que não volta mais. Lidar com o fato de que coisas boas não duram para sempre, de que os momentos vividos devem ser
aproveitados naquele instante nada mais.

Esquecer um olhar, deixar que ele se vá. Permitir-se continuar quando quem tanto amamos não faz mais parte de nossas vidas. Jogar-se no mundo sem medo e descobrindo outros olhares, não como aquele, mas que nos trazem muita alegria e quem sabe sabedoria.

Esquecer alguém que não está mais aqui. Elevar sua alma a tal ponto que possa ainda sentir sua presença, mas com consciência que não mais te pertence, se foi. Esse alguém agora é de "Deus" e ao lado dele zela por ti.

Esquecer um amor que terminou, mas que ainda é tão vivo dentro de você. Você ainda sente o cheiro de seu corpo, ainda sente o toque de sua pele, as carícias, o seu jeito tão especial, seu rosto, seu sorriso e aqueles momentos de silêncio quando você sentia que eram um.

Esquecer porque não é permitido a você estar com essa pessoa, por mais que isso lhe rasgue o coração. Esquecer para que você continue vivendo, esquecer para que você continue respirando. Esquecer porque não vai acontecer, essa pessoa não te pertence, não se identifica com você, olha e deseja outra pessoa.

Esquecer muitas vezes é necessário, mas gostaria de não precisar esquecer você. Mas, agora que finalmente tomei essa decisão vou ter paciência e agüentar a dor.

Leni Silva

Nenhum comentário: